Geociclo reforça estratégia comercial em todo o país.

Empresa amplia a capilaridade com tecnologia proprietária que aumenta a eficiência 
do fertilizante através de uma matriz orgânica bio-ativada e reduz o impacto ao meio ambiente.

A Geociclo, empresa nacional de agrotecnologia que produz fertilizantes especiais, comemora 10 anos de existência em nova fase: voltou ao comando dos sócios fundadores, liderados pelo empresário Olavo Monteiro de Carvalho (Grupo Monteiro Aranha), com uma tecnologia proprietária capaz de aumentar a produtividade da safra e reduzir o impacto ambiental, foco na diversificação de culturas e uma nova estratégia comercial.

Após cinco anos de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) e a implantação da maior fábrica de fertilizantes desse tipo da América Latina, com capacidade de produzir até 150 mil toneladas ao ano, a Geociclo desenvolveu uma tecnologia proprietária que protege e libera gradativamente os nutrientes minerais, favorecendo a absorção pelas plantas e promovendo um ambiente propício para um melhor desenvolvimento radicular através da solubilização da matriz orgânica bio-ativada, proporcionando menor perda dos nutrientes minerais, reduzindo os impactos ambientais e evitando a salinização concentrada próximo as raízes. Além disso, a empresa utiliza um processo de fabricação capaz de conservar a dureza do pellet mesmo oferecendo solubilidade gradual, garantindo o fluxo contínuo da aplicação.

“Ao reunir um tratamento de peletização diferenciado e uma matriz orgânica bio-ativada oferecemos um fertilizante melhor e mais eficiente para o produtor. Nos mais de 100 testes agronômicos realizados em campo e casas de vegetação em parceria com instituições como UFU, ESALQ, EPAMIG e EMATER foi comprovada a maior eficiência do Geofert Evolute em diversas culturas, com ganhos de produtividade que superam os 20%”, afirma o gerente comercial, Sérgio de Carvalho Junior.

Por possuir mineral, matriz orgânica bio-ativada e micronutrientes no mesmo pellet, o Geofert Evolute evita a segregação mineral, reduz a volatilização do nitrogênio, a fixação do fósforo e a lixiviação do potássio.  “A matriz orgânica ativada está dentro do processo de peletização. Não utilizamos o processo de recobrimento. Como cada pellet contém nossa tecnologia, há uma melhora considerável da capacidade de reter elementos nutricionais próximos do sistema radicular”, complementa.

Os testes verificaram que após a aplicação do Geofert Evolute com a solubilização da matriz orgânica, proporcionamos um ambiente muito mais favorável ao aumento da vida microbiana no solo e um baixíssimo índice salino localizado. Isso faz com que a planta absorva os nutrientes de maneira adequada, permitindo que ela desenvolva suas raízes de absorção e de sustentação em maior quantidade e de maneira bastante favorável para um alto índice de aproveitamento da adubação.

Para ampliar sua base de distribuição a Geociclo fechou um acordo com a Algar Agro para as operações de barter e uma parceria com a gigante norte-americana ALLTECH Crop Science, presente em diversos países e com 250 pontos de distribuição de produtos para a agricultura no Brasil. Com foco em culturas de maior valor agregado, como hortifrúti, café, milho, grãos etc, a Geociclo amplia também suas parcerias comerciais no Vale do São Francisco (PE / BA), no Cinturão dos Grãos (GO), na região da Alta Mogiana (SP) e leste do Estado de São Paulo, em todo o Estado de Minas Gerais e Espírito Santo.

A Geociclo prevê uma produção de cerca de 40 mil toneladas para esse ano, mas pretende chegar aos 100 mil até 2020. “Passamos cinco anos investindo em um produto diferente, melhor e mais sustentável. Agora estamos prontos para crescer com responsabilidade, na área de produção de alimentos”, afirma o presidente da empresa,  Ernani Judice.

Este post foi publicado em Notícias na Revista Campo e Negócios e Agrolink em 16 de maio de 2017

, , , , , ,